Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Salvaguardar a imagem da freguesia

Sexta-feira, 18.05.12

Saúdo todos por esse mundo fora que visitam esta página e, em especial, aqueles que por qualquer razão estão ligados à nossa freguesia. Hoje tomo a liberdade de usar este 'meu' espaço para, sem ferir susceptibilidades, deixar aqui alguns reparos construtivos que poderiam, na minha óptica, contribuir para a não degradação visual em pequenos pormenores da via pública. E quando digo que não quero abalar consciências, estou obviamente a levar em linha de conta que também já fui autarca desta força política e, sem dúvida, reconheço nesse mandato ter ficado bem longe da perfeição devido a motivos que só eu saberei dissecar. Para já, são apenas três as situações que quero aqui denunciar. Bem sabemos que os tempos são outros e complicados em virtude das forças de bloqueio impostas pelo poder central mas, dada a maior ou menor complexidade de cada caso, julgo ser possível fazer-se algo. A primeira é uma antiga 'guerra' minha na estrada que liga Cucena à zona histórica. Trata-se da placa onde supostamente estamos a entrar em Paio Pires. Creio que até se pode evitar a retirada da mesma acrescentando a informação de entrada no centro da localidade mas, ao mesmo tempo, penso que devia ser colocada outra onde, na verdade, começa a freguesia devolvendo simultaneamente uma melhor imagem para quem entra na nossa Aldeia já de si meio banalizada pelas populações adjacentes. Continuando nas placas passo ao segundo caso. Trata-se de um 'outdoor' do Partido Social Democrata na zona da Igreja Evangélica. A minha questão é só uma: não estará na hora de retirar dali aquele 'mamarracho' anti-cultural que atacava, sem precedentes, uma tradição taurina que é e sempre será nossa contra a vontade dos menos aficionados? É que já nem se consegue, tão pouco, 'ver um boi' do que lá está inscrito. Ficando ali pela zona passo à terceira situação. Algures entre a Egas Moniz e a avenida Aldeia de Paio Pires, encontra-se a famosa urbanização embargada onde até já uma grua não provocou danos de outro calibre quiçá por milagre divino. Bem sei que está ali um grande imbróglio de resolução complicada mas, estaremos nós à espera que alguma criança faça também de grua ao esbarrar no solo e só pela lei da tragédia se defina de uma vez por todas alguma evolução naquela espécie de bancada lateral do Parque de Jogos Vale da Abelha? Saudações paiopirenses...!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por oblogdopovo às 01:59


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.